sexta-feira, 29 de Agosto de 2008

Cozinha Portuguesa - a Comida de Portugal

No século XV, o Príncipe Henrique o Navegador ordenou que os seus exploradores trouxessem de volta a Portugal qualquer fruto exótico, nozes e plantas de novas terras que iam sendo descobertas. Por conseguinte, a Idade das Descobertas afectou dramaticamente a cozinha em Portugal e ao redor do mundo.

Os tomates e as batatas foram trazidos para a Europa, os abacaxis brasileiros foram introduzidos nos Açores, as malaguetas brasileiras cresceram em Angola, o café africano foi transplantado para o Brasil (que ainda hoje produz metade do consumo mundial), cajueiros brasileiros foram para a África e a Índia, e o chá foi apresentado aos europeus.

Hoje, o afecto português por certos ingredientes como a canela e o caril, por exemplo, é também um legado deste tempo. Mas outras culturas tinham introduzindo novos sabores em Portugal séculos antes disto. Os Romanos (que aspiravam fazer da Península Ibérica o celeiro de Roma) introduziram o trigo e introduziram as cebolas, o alho, as azeitonas e as uvas. Depois, os mouros foram primeiros em plantar o arroz, figos, limões e laranjas, e cobriram a província do Algarve de amendoeiras.

Hoje, naturalmente, a comida portuguesa varia de região para região, mas o peixe fresco e o marisco podem ser encontrados virtualmente em qualquer menu. O prato nacional é o bacalhau. Os portugueses foram obcecados com ele desde o inicio do séc. XVI, quando os seus barcos de pesca chegaram à Terra Nova. Os marinheiros salgavam e secavam o bacalhau para fazê-lo durar durante a longa viagem de regresso a casa, e hoje diz-se que existem 365 modos diferentes de prepará-lo, um para cada dia do ano.

As sardinhas grelhadas são também populares nas cidades costeiras, e uma mistura de outros tipos do peixe é posta num guisado chamado "Caldeirada.

O país tem muitos restaurantes especializados em marisco, muitos com exposições artísticas de lagostas, camarão, ostras, e caranguejos. Para tentar uma mistura desses, experimente o "arroz de marisco.

Outro prato nacional, mas desta vez feito com a carne, é "cozido à portuguesa," um guisado espesso de verduras com várias espécies de carne. A carne favorita é porco, cozinhado e servido de vários modos. O leitão assado é popular no norte do país, como são o "chouriço" ou "linguiça.

Típicas do Porto são as tripas com feijões. Não é ao gosto de toda a gente, mas foi o prato mais famoso do Porto desde que Henrique o Navegador enviou um navio para conquistar Ceuta, em Marrocos e a gente do Porto matou todo o seu gado para fornecer a tripulação, guardando somente os intestinos para eles. Por isso os Portuenses são conhecidos como "tripeiros" ou "comedores de tripas" desde então.

O pequeno-almoço é tradicionalmente somente café e pão, mas o almoço é de uma grande importância, muitas vezes durando até duas horas. É servido entre o meio-dia e as 2 ou entre as 1 e 3, e o jantar é geralmente servido tarde, depois das 8. Há normalmente três pratos, muitas vezes incluindo a sopa. A sopa mais comum é "caldo verde," com repolho de batatas, couve e pedaços de chouriço.

As sobremesas mais típicas são o pudim de arroz com canela, "arroz doce" e pudim flan, mas eles também muitas vezes incluem vários queijos. As variedades mais comuns são feitas de leite de ovelha ou leite de cabra, e o mais popular é "queijo da serra" da região da Serra da Estrela.

Muitos dos doces de renome do país foram criados por freiras no século XVIII, que elas vendiam como um meio de complementar os seus rendimentos. Muitas das suas criações têm nomes interessantes como "barriga de freira", "papos de anjo" e "toucinho-do-céu". Um doce especialmente delicioso é o "pastel de nata”.

Antes de qualquer refeição num restaurante em Lisboa ou em outro lugar em Portugal, tente o pão colocado na mesa - o pão português é delicioso.

sábado, 26 de Abril de 2008

O que pensam os estrangeiros sobre a nossa comida? Parte 2.

Aqui fica a segunda parte da tradução de um texto elaborado por um estrangeiro sobre a cozinha tradicional Portuguesa:

Também há bastantes opções para os amantes de carne. Espetadas grelhadas de carne de vaca, são populares, assim como o leitão. Cozido à portuguesa, um prato que reúne numa única refeição carne de vaca, carne de porco, linguiça e legumes, reflecte a desenvoltura de arte culinária tradicional. Uma combinação bastante mais incomum é a carne de porco e amêijoas da carne de porco à alentejana. A carne de porco também é cozida na cataplana com mexilhões, com a cataplana, uma espécie de wok, a selar os sabores. Enquanto isso, na cidade do Porto fazem-se tripas à moda do Porto, supostamente um legado dos dias do Príncipe D. Henrique, o Navegador, quando a cidade foi deixada com nada mais do que tripa, depois de toda a comida ter sido usada para abastecer as caravelas do Navegador. Até hoje os habitantes do Porto são conhecidos como tripeiros ou comedores-de-tripas.

Frango assado, temperado com piri-piri, alho, e/ou azeite, é um das poucas coisas que fizeram sua marca fora de Portugal onde pode ser achado em cidades com uma população portuguesa grande. A galinha de piri-piri altamente aromática é servida frequentemente em restaurantes especializados.

As sopas constituem uma parte integrante de arte culinária tradicional, com todo o tipo de legumes, peixe e carne, criam-se uma grande variedade de sopas e guisados. Caldo Verde, uma sopa feita de couve com batata e uma rodela de linguiça ou chouriço, originou-se na província do Minho, ao norte, mas é agora considerado um prato nacional. Junto com a canja de galinha (caldo de galinha), o caldo verde é uma das sopas preferidas dos Portugueses. Para os mais aventureiros, caldeirada de lulas à Madeirense, é caracterizada por uma mistura tipicamente Portuguesa de frutos do mar, especiarias e gengibre. Outro prato típico é a açorda onde são acrescentados legumes ou moluscos a pão rústico grosso para criar uma sopa “seca”.

Aqueles que adoram doces podem estar interessados em aprender que dos mais bem guardados segredos culinários de Portugal é sua gama vasta e distintiva de sobremesas e bolos. Muito comum nas ementas dos restaurantes Portugueses é a mousse de chocolate - mais rica, mais densa e mais suave que versões estrangeiras, enquanto outros favoritos incluem arroz doce, um pudim de arroz temperado com canela e limão. Porém, os doces mais famosos são bolos feitos com ovos e açúcar, influência da arte culinária moura e aperfeiçoados por freiras de Guimarães no décimo sexto século. Para uma experiência exclusivamente portuguesa, a visita deveria ir a um pastelaria (ou confeitaria) onde as muitas variedades de bolos e outras confecções, como também delicadezas saborosas como bolinhas de bacalhau, pastéis de bacalhau, são servidos. A Antiga Confeitaria de Belém onde os lendários pastéis de Belém, pasteis recheados de natas, são confeccionados, é um destaque de Lisboa. Sintra, perto, tem o seu próprio doce tradicional, queijadas de Sintra (um tipo de torta de queijo) que os vendedores ambulantes vendem em pacotes de seis.

A atitude portuguesa para comida é simples e imaginativa, tradicional e inventiva. Acima de tudo, desfrutar a boa comida é um dos aspectos mais estimados da vida quotidiana. Dos cafés informais para restaurantes de primeira classe, para todos os orçamentos e ocasiões são preparadas comidas. Cafés minúsculos e tascas, frequentemente não mais que buracos na parede, abundam. A oportunidade de provar esta culinária rica e desconhecida é uma das maiores recompensas em visitar Portugal.